segunda-feira, 14 de março de 2011

Que Vontade de Sumir

Se pudesse, eu desapareceria do mapa, iria pra bem longe. Cansei! E hoje tive a prova de que sou um "peso" para o meu pai e que se não fosse por ele a minha irmã e eu estaríamos passando fome.

Vou contar o que aconteceu. De manhã falei para o meu pai que deveria pagar o psicólogo e sem querer contabilizei a consulta que terei no dia 21/03, totalizando assim quatro consultas por R$ 200,00. Ele reclamou, perguntando se não eram três e aí peguei o meu celular para olhar na agenda o número de consultas. Fiquei tão nervoso que me perdi, só consegui me achar depois quando percebi que tinha feito três consultas.

Tentei explicar, mas ouvi apenas reclamações de que minha irmã e eu não reconhecemos nada que ele faz pela gente que se não fosse por ele passaríamos necessidades.

Parte do que ele falou é verdade, mas a minha irmã desde os 19 anos (se não me engano) trabalha e se não consegue pagar a sua faculdade é porque o seu salário não permite e eu, bem, vocês já sabem, me deixei acomodar permitindo que fizessem de mim o que bem entendessem.

Tive que ouvir sobre os gastos referentes ao prédio que está terminando de reformar, o plano de saúde que está atrasado há três meses e também que se eu tivesse mudado para o currículo seriado não seria tão caro a minha faculdade.

Sobre o currículo seriado quero deixar bem claro, só não entrei antes para esta modalidade porque teria que fazer um número elevado de cadeiras.

Meu pai ainda usou o exemplo da Bruna, filha da minha madrasta. Ele disse que quando ela reprovou há alguns anos no ensino fundamental, eu a teria julgado. Eu respondi com veemência que não e fiquei pensando comigo "quem sou eu para julgar?" Ela deve ter tido os motivos dela para ter reprovado no último ano do ensino fundamental, assim como tenho os meus por ter reprovado em algumas cadeiras.

Ouvindo-o se queixar das despesas, até pensei que meu pai não tivesse mais dinheiro no banco, sim porque ele sempre ostentou uma pose (até algumas pessoas falam isso pra mim) vangloriando-se de ter dado aula em duas universidades aqui do Sul e que R$ 100,00 não eram nada pra ele.

Aquela conversa estava me fazendo mal tanto que ele perguntou o que mais deveria fazer por mim. Nem respondi, não conseguia falar nada, só queria sair dali, daquela casa que não é minha casa.

Depois de ouvir tudo, sai do gabinete a onde meu pai trabalha e fui para o meu quarto me arrumar. Estava me sentindo sufocado e louco para sair daquela casa.

Desci as escadas e sai pra rua e enquanto caminhava ia falando comigo mesmo, pensando alto, tentando entender tudo.

Como escrevi antes, posso entender o que o meu pai faz pela gente, mas será que ele é capaz de entender o que se passa na cabeça dos seus filhos e o que eles sentem?

Eu sou uma pessoa solitária deprimida, sem amigos que está tentando se esforçar para fazer oito cadeiras (que foram impostas a mim pelo fato de estar fazendo algumas de novo e também porque não abrirão mais), luto contra esta maldita depressão e quando mais preciso de um pai que não seja só aquele que saiba cobrar e exigir, mas também que seja amigo, eu não tenho.

O pior de tudo isso é que meu pai certa vez disse que pareço seu inimigo. Será que não é ao contrário?

Olha, se tivesse coragem iria pra bem longe ou faria alguma besteira, mas não cheguei a este ponto ainda porque penso na minha mãe que é uma pessoa agitada, ansiosa. Se fizesse isso, tenho a certeza de que ela ficaria desequilibrada.

Só sei que não me sinto bem naquela casa, me sinto preso lá. Se tivesse que morar com a minha mãe e irmã, acho que não daria certo, pois a minha irmã tem o temperamento do meu pai, embora pense algumas coisas diferentes.

Desculpem o desabafo, mas é que estou muito triste e como não tenho com quem desabafar, este espaço se torna a minha "seção de descarrego".

Abraço a todos!

2 comentários:

  1. Eu posso imaginar a sua dor amigo!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ikki.
    é como eu digo pro meu noivo: nós somos mais compriendidos na rua do que dentro de casa.
    Eu entendo perfeitamente o q vc sente, e em muitos momentos, os pais são incompriencíveis, rígidos, insencíveis, mais isso não significa que são maus.
    se o teu pai age assim, tenha a certeza de que o trataram assim quando era adolescente.
    então ele não sabe se expressar, pq não lhe ensinaram, ele não sabe conversar com vc, pq não conversaram com ele.
    pense nisso.
    não concordo com o q ele faz, longe disso.
    mais observe, pra ver se eu não estou serta.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.